Alemdasaulas's Blog

Isto é uma espécie de portofolio ;P

Partenogénese novembro 4, 2013

Hoje, em aula, aprendemos estratégias de reprodução assexuada. De todas, quiçá, a mais espectacular é a partenogénese. Fêmeas (quase sempre) conseguem procriar sem qualquer necessidade de um macho.

Um dos casos mais insólitos de ocorrência de partenogénese foi com Dragões de Komodo. Tudo aconteceu em 2006 quando duas fêmeas evidenciaram o fenómeno. Flora, uma fêmea que vive no jardim zoológico de Chester, no norte da Inglaterra, colocou 11 ovos sem nunca ter tido contacto com um macho da sua espécie. 5 desses ovos transformaram-se em 5 pequenos dragões.

Também em Inglaterra, mas desta vez em Londres, uma fêmea de nome Sungai deu à luz 4 pequenos dragões, depois de estar separada de machos há mais de 2 anos. No caso da virgem Flora a partenogénese assumiu-se como evidente, mas o mesmo não se passou com Sungai.

Será que no caso de Sungai houve um armazenamento de esperma que possibilitasse a fecundação após mais de 2 anos sem actividades sexuais? Esta ocorrência não foi confirmada. Assim, Sungai foi mãe e pai ao mesmo tempo.

Devido às duas únicas hipóteses de emparelhamento cromossomómico, uma partenogénese em Dragões de Komodo apenas poderá produzir machos, pela presença do emparelhamento de cromossomas Z, ou caso se defina emparelhamentos de cromossomas W, não existe desenvolvimento. Essa procriação de machos é a suficiente para a preservação da espécie, visto a possibilidade de reprodução sexuada entre a mãe e os filhos. Este incrível fenómeno demonstra inequivocamente as defesas naturais de uma espécie em perigo relativo de extinção.

Esta capacidade, seguramente ancestral, de partenogénese em Dragões de Komodo confere uma forte arma de subsistência da espécie, possibilitando que uma fêmea seja deixada sozinha numa ilha e que consiga procriar.

Este será um recurso extraordinário para a perpetuação da espécie.

O dragão-de-komodo ou crocodilo-da-terra é um réptil que vive na ilha Komodo e adjacentes (Rinca, Padar e Flores), na Indonésia. É a maior espécie de lagarto conhecida, e foi descoberto oficialmente pela ciência apenas em 1912. Encontra-se protegida por lei, devido à ameaça de extinção.
retirado do blogue:
http://biogeo11cd.wordpress.com/2008/10/15/partenogenese-em-vertebradosdragoes-de-komodo/

 

One Response to “Partenogénese”

  1. Lurdes FFonseca Says:

    Gmail encarregou-se de me trazer uma mensagem do texto sobre partenogénese do absurdo que tenho desprezado, por falta de tempo e de alunos do secundário. Considero, colega, que és uma sortuda. Bem haja.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s