Alemdasaulas's Blog

Isto é uma espécie de portofolio ;P

erosão costeira julho 6, 2017

Anúncios
 

As 24 cidades que vão desaparecer em Portugal por causa de aquecimento global janeiro 19, 2017

Não há como negar e as evidências são cada vez maiores! O aquecimento global está a provocar o degelo do Ártico e a subida do nível médio da água do mar. Sendo Portugal um país com uma frente marítima imensa e com a população a concentrar-se especialmente no litoral, são muitas as cidades em risco de ser inundadas, em maior ou menor escala, total ou parcialmente.

A situação é bem mais grave e séria do que se pensa. O degelo do Ártico está a avançar a um ritmo mais rápido do os cientistas calcularam inicialmente. Uma subida de 3, 4 ou 5 ºC causada pelo aquecimento global pode levar a um aumento de até 7 metros no nível da água do mar.

As imagens apresentadas neste artigo foram feitas tendo como previsão um aumento de 7 metros, algo que pode acontecer até 2050.

Confira 24 cidades que irão desaparecer por causa do aquecimento global:

 

[Cláudio Carneiro de Sines]

  • 1. Vila Real de Santo António
  • 2. Faro
  • 3. Olhão
  • 4. Portimão
  • 5. Lagos
  • 6. Tróia
  • 7. Setúbal
  • 8. Costa da Caparica
  • 9. Barreiro
  • 10. Moita
  • 11. Montijo
  • 12. Peniche
  • 13. Nazaré
  • 14. Figueira da Foz
  • 15. Montemor-o-Velho
  • 16. Ovar
  • 17. Espinho
  • 18. Aveiro
  • 19. Matosinhos
  • 20. Vila do Conde
  • 21. Póvoa de Varzim
  • 22. Esposende
  • 23. Viana do Castelo
  • 24. Caminha
  • 1. Vila Real de Santo António
  • 2. Faro
  • 3. Olhão
  • 4. Portimão
  • 5. Lagos
  • 6. Tróia
  • 7. Setúbal
  • 8. Costa da Caparica
  • 9. Barreiro
  • 10. Moita
  • 11. Montijo
  • 12. Peniche
  • 13. Nazaré
  • 14. Figueira da Foz
  • 15. Montemor-o-Velho
  • 16. Ovar
  • 17. Espinho
  • 18. Aveiro
  • 19. Matosinhos
  • 20. Vila do Conde
  • 21. Póvoa de Varzim
  • 22. Esposende
  • 23. Viana do Castelo
  • 24. Caminha
  • 1. Vila Real de Santo António
  • 2. Faro
  • 3. Olhão
  • 4. Portimão
  • 5. Lagos
  • 6. Tróia
  • 7. Setúbal
  • 8. Costa da Caparica
  • 9. Barreiro
  • 10. Moita
  • 11. Montijo
  • 12. Peniche
  • 13. Nazaré
  • 14. Figueira da Foz
  • 15. Montemor-o-Velho
  • 16. Ovar
  • 17. Espinho
  • 18. Aveiro
  • 19. Matosinhos
  • 20. Vila do Conde
  • 21. Póvoa de Varzim
  • 22. Esposende
  • 23. Viana do Castelo
  • 24. Caminha

Fonte:

http://muitobom.com/as-24-cidades-que-vao-desaparecer-em-portugal-por-causa-de-aquecimento-global/

 

 

Consultar: Um simulador já publicitado neste blogue sobre o tema:

https://calculatedearth.com/index.php

 

“Bora” lá? dezembro 6, 2011

A mais perto daqui ;))) é já ali na Figueira da Foz.
Estou aqui estou lá!

http://www.expoanfibios.org/

 

“Folha” artificial cria energia eléctrica outubro 5, 2011

Artigo muito recente da Ciência Hoje
“Folha” artificial cria energia eléctrica
Invenção de Daniel Nocera começará a ser comercializada na Índia
2011-10-03

Dispositivo poderá começar e ser comercializado em países em vias de desenvolvimento
Passados seis meses de ter sido divulgada a invenção de uma folha artificial que imita a fotossíntese, a revista «Science» publica o estudo do autor desta descoberta, o químico Daniel Nocera, MIT – Massachusetts Institute of Technology.

A “folha” é fabricada com silício e embebida numa solução de cobalto e fosfato. Depositada num cubo de água, reage quimicamente perante a luz solar quebrando as moléculas da água nos seus dois elementos: oxigénio e hidrogénio. Estes elementos são posteriormente transformados em energia eléctrica.

folha art

Este inovador dispositivo é fabricado com materiais abundantes e de baixo custo. É totalmente portátil e não precisa de cabos. Além disso, é mais eficaz do que as células de energia solar actuais.

O investigador vai comercializar o invento através da sua própria empresa, a Sun Catalytix, e com o apoio do empresário indiano Ratan Naval Tata, que quer começar por testar o dispositivo no seu país.

A principal vantagem desta “folha” é ser uma fonte de energia renovável de baixo preço, estando assim indicada para países em vias de desenvolvimento. Uma folha de um metro quadrado embebida em água é suficiente para abastecer uma casa de tamanho médio. Também os custos de montagem e operação são mais reduzidos do que os das actuais placas fotovoltaicas.

Artigo: Wireless Solar Water Splitting Using Silicon-Based Semiconductors and Earth-Abundant Catalysts

 

Simulador da subida do nível da água do mar. outubro 3, 2011

As perturbações do ciclo hidrológico induzidas por alterações climáticas que incluam aumento da temperatura do planeta teriam consequências gravíssimas. Uma delas, fácil de equacionar, é a alteração da forma dos continentes/ quantidade de zonas emersas.
Espreita aqui (http://calculatedearth.com/index.php)